Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :

As grandes novidades da Norwegian Cruise Line

Ainda que a marca de cruzeiros só igualará os números de 2019 em 2023, a chegada, no próximo novembro, do moderno Norwegian Prima e a ampliação de sua frota fazem prever um bom ano para a prestigiosa empresa de navios.

 Isso projeta Frank Medina, vice-presidente de Vendas para a América Latina e para o Caribe da Norwegian Cruise Line (NCL), quem deu por superados os “dolorosos” momentos vividos pela indústria de cruzeiros no final de 2021 e começo de 2022, por conta da variante Ômicron, quando já se pensava ver a luz no final do túnel e as reservas tinham aumentado e os preços estabilizados. Não obstante, a recuperação foi rápida e todos os dados científicos, incluindo os do painel de saúde integrado pela NCL, indicam que não se apresentarão novos golpes. “Vimos recentemente como os países da Europa abriram e relaxaram suas restrições. Pensamos que todas essas mensagens foram chegando ao consumidor que está muito ansioso para voltar a viajar”, comentou o diretor, quem tem claro as expectativas da companhia: regressar o antes possível aos números de 2019. De acordo com Medina, para o terceiro e quarto trimestres deste ano já se evidencia um melhor comportamento das reservas, a esperada meta será em 2023 quando operar de cheio com a frota completa, incluindo o novo barco da companhia: o Norwegian Prima. 

Uma nova era

É sem dúvida a principal novidade da marca em 2022, não somente pela ampliação da frota e a chegada de um produto novo – o que sempre é atraente– mas, porque é o primeiro barco de uma nova classe de cruzeiros, mais modernos e desenhados para “elevar mais a imagem do Norwegian”. Depois de sua inauguração em novembro, em junho de 2023 a companhia receberá o Norwegian Viva e, mais para frente, quatro barcos novos todos os anos, até 2027. Desta maneira, ratificam-se as projeções positivas para a indústria de cruzeiros e se augura um grande trabalho por parte dos representantes da NCL na América Latina, que terão nas mãos constantes novidades de produto para pôr à disposição dos agentes de viagens da região.

No caso concreto do Norwegian Prima, recentemente a companhia anunciou sua renovada proposta gastronômica com mais e melhores restaurantes, além de melhoras substanciais em entretenimento – como uma pista de karting de três níveis– e no desenho do barco. Neste último ponto, por exemplo, a exclusiva classe The Haven se moveu à proa do barco com mais espaços exteriores para os hóspedes. Por outro lado, o Waterfront do convés 8 dobrará seu tamanho e também incluirá mais cenários ao ar livre, entre os que estão duas piscinas infinitas de lado a lado do convés, o que gerará uma sensação de experiência no oceano. “Vamos ter um excelente produto para oferecer ao consumidor de toda a América Latina”, disse Medina sobre o esperado Norwegian Prima, que estreará na Europa e posteriormente se trasladará ao Caribe.

Quanto aos trajetos, na Europa os barcos operarão com itinerários mais longos, de 9, 10 e 11 noites, e sem repetir portos, o que, segundo Medina, é uma vantagem para o viajante latino-americano que quer passar mais tempo no Velho Continente. “No Caribe vamos ter cruzeiros de Miami, Nova York e Tampa e em 2023, quando vier o Viva, vamos ter uma temporada saindo de Puerto Rico”, revelou.

A companhia também conta com um itinerário no Panamá que cruza o Canal, embarcando tanto em Colón como no porto de Amador.

“Queremos fazer crescer o mercado internacional de cruzeiros. Queremos que as agências de viagens proponham aos seus clientes um cruzeiro com a NCL. Não necessariamente existe uma só opção em cruzeiro para a América Latina. O Norwegian tem um produto de muito valor, com muito prestígio e reconhecimento. Não temos cruzeiros em Cartagena, mas, sabemos que há um mercado forte que quer ir tomar um cruzeiro no Caribe, Mediterrâneo, Norte da Europa, Austrália, Ásia, África do Sul. Temos itinerários em todos os lugares do mundo”, concluiu Medina.

  • Facebook
  • Twitter
This div height required for enabling the sticky sidebar